O ADN da rbv.arq encontra-se indissociavelmente ligado à internacionalização, pela pertença à rede europeia de empresas de Arquitectura Equator European Architects, cuja principal descrição é permitir aos seus membros actuarem em todos os mercados em que se encontrem ou actuem, permitindo criar negócio e gerar valor aos seus clientes duma forma que tradicionalmente não lhes seria possível ou antes extremamente oneroso.

Igualmente, a experiência já obtida no terreno em Angola, com a realização de estudos e projectos para a Hotelaria, Retalho, Habitação e Planeamento, e mais recentemente na Namíbia, na Hotelaria, bem como as prospectivas hipóteses de Moçambique, África do Norte, Brasil e América Latina, reforçam e justificam a aposta na internacionalização como palpável e com retorno visível, envolvendo empresas Portuguesas e contribuindo para a sua criação de valor.

Cabe referir que as sinergias que a rbv.arq já estabeleceu com parceiros de reputada craveira técnica, como a Nexia e a Viaponte, lhe permite uma abrangência de competências que confere a capacidade de abordar qualquer tipo de projecto, quer internacional quer localmente.

Assim, os vectores de actuação da rbv.arq assentam em três direcções claramente globais:
a)    O mercado Português e Sul-Americano será trabalhado em estreita articulação com os seus parceiros preferenciais, nomeadamente, mas não exclusivamente, nos segmentos Reabilitação Urbana, Consultoria Imobiliária, Saúde, Logística e Armazenagem;

b)    O mercado Europeu/Mediterrânico será trabalhado com os seus parceiros da Equator, visando a captação de IDE para realização de projectos em Portugal, em que a rbv.arq desempenhará o papel de Técnico Local e o investimento de empresas Portuguesas nos mercados aonde os membros da Equator estão presentes ou actuam, articulando-se com aqueles ou gerindo o projecto a partir de Portugal;

c)    O mercado Africano será trabalhado com os seus parceiros locais, com o apoio dos seus parceiros preferenciais sempre que aplicável, nos sectores da Hotelaria, Habitação, Retalho, Planeamento Urbano e Habitação Social.

Naturalmente que as direcções referidas podem proporcionar intervenções multiformes (por exemplo, cliente Europeu que deseja investir no Brasil, cliente Africano em Portugal ou na Europa, cliente Português no Mediterrâneo, etc., procurando sempre envolver parceiros, empresas e/ou consultores Portugueses), pelo que as potencialidades de negócio que se podem criar são múltiplas e grandemente geradoras de valor a todos os intervenientes.